PROJETO MAIS LEITE COOPERVAP FORTIFICA AÇÕES DO COOPERATIVISMO

Postado por admin em Acontece na Coopervap, Artigos e Notícias

16

abr
2020

Em junho de 2015, o Governo Federal sancionou a lei nº 13.137 que, dentre outros assuntos, resolvia uma questão há tempos demandada pelos laticínios brasileiros: a utilização dos créditos presumidos da contribuição do PIS/PASEP e COFINS oriundos da compra e utilização do leite in natura como insumo que foram gerados pela renúncia fiscal aplicados aos produtos acabados.
Além da solução imediata de um passivo de créditos acumulados por laticínios, a nova lei incluiu um dispositivo para liberar a utilização dos novos recursos. Para acessar o crédito os laticínios e cooperativas agora deveriam apresentar um projeto que tivesse como objetivo final beneficiar o produtor rural de leite na melhoria da produtividade e da qualidade de sua atividade. Tal projeto deveria ser aprovado e posteriormente acompanhado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Esse dispositivo foi pensado à época como uma maneira de auxiliar na organização e melhoria da cadeia produtiva do leite, contribuindo com a base da mesma.
Implantado há 9 meses, o Projeto Mais Leite Coopervap já começa a dar resultados muito positivos.
Considerando a realidade da maior parte de nossos produtores, acreditamos que a abordagem do produtor rural pela assistência técnica deve ser ampla, focada na gestão da propriedade e visando sua profissionalização em todas as etapas da produção. Falar em qualidade do leite é mais do que uma meta ou um número, falar de qualidade do leite é falar da vida de milhares de pessoas.
Nesta edição, vamos acompanhar o trabalho dos técnicos do projeto no Assentamento PA Buriti, na propriedade do casal Benedito Eugênio e Regina Pereira Santana, que junto de sua família aplicaram a metodologia do Mais Leite sob a orientação dos profissionais do projeto (Andra Paula Rodrigues, Leandro Ricardo Silveira, Daniel Santos Cardoso, Ana Luiza Tauffer).
Oriundos da região da Aldeia, a família se mudou de região e hoje sua principal atividade é a produção de leite. A família já possui uma experiência de décadas na atividade, mas para complementar a renda cria frangos, suínos e produz ovos caipiras.
As visitas ocorrem uma vez por mês para cada produtor e os resultados vem sendo alcançados. No início do projeto, em meados de junho de 2019, a produção diária era de 80 litros de leite. Hoje após 9 meses de assessoria gerencial e zootécnica a produção subiu para 180 litros por dia. A troca do tanque de expansão já se faz necessária, devido ao aumento significativo na produção.
Toda a família participa das atividades do dia-a-dia da propriedade. O filho Ricardo ajuda em todas as atividades desenvolvidas pela como: gradagem, nivelamento, plantio e colheita para os vizinhos da região complementando assim a renda familiar. Com muito trabalho e ajuda do seu pai Ricardo conseguiu comprar um trator com todos os implementos, assim conseguimos realizar os serviços no momento certo na nossa propriedade para fazer os plantios, antes era uma dificuldade quando a máquina chegava par fazer nossa gradagem já estava passado perdíamos o período de chuva melhor para plantar e sempre tinha prejuízos devido os longos veranicos. “E com estes serviços extras com o trator consigo um meio de renda para me manter e ajudar meus pais”.
A família está inserida no Projeto Mais Leite Coopervap desde o início, e conforme as orientações feitas pela veterinária Andra Paula que acompanha a propriedade foram feitas coletas de amostras de solo para análise, que foram enviadas ao laboratório da Campo Análises e assim que o resultado foi liberado foram feitas as devidas recomendações de acordo com as exigências do solo feita pelo Eng. Agrônomo Daniel Cardoso. “Compramos o calcário e fizemos a gradagem e a calagem. Em fizemos a gradagem, a calagem envolvendo o calcário ao solo no mês de Setembro, e antes de realizar o plantio foi feito a segunda gradagem e nivelamento do solo. A área é de 4 hectares que utilizamos para correção e plantio.” Disse a veterinária Andra.
O plantio foi realizado no dia 16/11/2019 com a semente do milho com o adubo e após 45 dias de nascido foi realizada a primeira cobertura com ureia.
“Por estarem localizados em uma região que a chuva sempre foi escassa, nos anos anteriores por esta razão e por não termos orientação técnica sempre fizemos plantio de sorgo por ser mais resistentes e sobressair com poucas chuvas. Este ano de 2019 por estarmos tendo assistência técnica estamos acreditando que se fizermos tudo conforme as orientações corretas teremos bons resultados e acreditando que possamos ter mais chuvas que os anos anteriores. Não foi necessário fazer nenhum defensivo na lavoura para controle de pragas. E graças a Deus este ano foi atípico pois tivemos bastantes chuvas durante toda fase da lavoura e a nossa ficou muito ótima, e todos admiravam nosso milho. Por ser a primeira vez que plantamos milho da forma correta e os intempéries foram favoráveis obtivemos uma ótima produção de silagem nos deixando despreocupados com o arraçoamento dos animais no período da estiagem, pois teremos o suficiente para tratar de todo nosso rebanho. A produção de nosso silo foi de 160 toneladas, sendo um silo de qualidade. Só tenho a agradecer primeiramente a Deus e as orientações da técnica.” Disse o senhor Benedito.
Os resultados obtidos através da aplicação do Projeto Mais Leite Coopervap na propriedade são muito satisfatórios. A intenção é que o projeto seja ampliado a mais produtores para que, assim o maior número de associados possível possa ter a oportunidade de estar participando e melhorando o desenvolvimento familiar e local do nosso município.

VISITA TÉCNICA

A equipe da Embrapa Cerrados, composta por José Humberto e José Carlos juntamente com toda equipe técnica do Projeto Mais Leite Coopervap (Andra Paula, Ana Luiza, Daniel e Leandro) onde foi realizada a amostragem da lavoura para se calcular a produção estimada. Trocamos muitas ideias construtivas que serão aplicadas para o nosso crescimento social, ambiental, econômico e sustentável. Desta forma estaremos fortalecendo a rede dos pequenos produtores e fazendo com que as gerações futuras possam dar sequencias as nossas atividades aqui no campo. Está família tem um diferencial o filho dará seguimento na atividades dos pais, está noivo com a jovem Nara, e construindo sua casa próxima a dos pais, e assim fortalecer o trabalho familiar diminuindo assim o êxodo rural. 

Para esse ano de 2020 teremos mais tempo para planejar e executar o nosso ano agrícola, sendo assim poderemos analisar os erros e acertos no ano anterior, para que possamos melhorar mais nos próximos.

 

Deixe um comentário